26 de jun de 2009

Complexo de Barbie


Se eu me olhar no espelho vou perceber rapidamente que não sou a boneca Barbie. Não tenho cabelos de Barbie nem olhos de Barbie, muito menos o corpo da Barbie. Também não tenho intenção de posar nua para uma revista masculina, nem acredito que as músicas que tratam a mulher como mero objeto sexual têm a ver comigo.

Infelizmente, o corpo da mulher se tornou algo banal, uma mercadoria barata. O valor da mulher está no seu corpo, mais precisamente nos seus seios e nádegas. Ai daquelas que estão com uns quilinhos a mais! O padrão de beleza atual tem levado muitas jovens a enfrentar o quadro de doenças como bulimia e anorexia. E ai daquelas que têm os cabelos encaracolados!

Querer se arrumar, ir ao cabeleireiro, comprar uma roupa nova e até mesmo praticar esportes ou fazer exercícios físicos não é o problema. O problema é querer ser Barbie; é pensar que um corpo esculpido é garantia de felicidade, e esquecer que o coração é que precisa ser esculpido e os neurônios sarados. A Bíblia mesmo fala que a alegria produz a beleza do rosto: "O coração alegre aformoseia o rosto; mas pela dor do coração o espírito se abate" (Pv 15.13).

É difícil manter uma auto-estima elevada num mundo que valoriza um corpo de Barbie. Difícil não perder horas se castigando em frente ao espelho por não ter conseguido alcançar o objetivo de só comer alface todo dia até atingir um corpo de modelo.

Mas o que nós, mulheres cristãs, temos a ver com isso? Que respostas práticas daremos ao problema da banalização do corpo da mulher? Iremos nos conformar, ou melhor, nos apropriar do modelo de mulher que nos é imposto? É possível resistir? De que maneira, toda essa preocupação com a beleza atrapalha a nossa inserção no mundo, na sociedade?

Se você tem a oportunidade de conviver com mulheres bonitas, se prestar atenção irá perceber que essas Barbies da vida fumam, bebem, se drogam, ficam doentes e muitas não são amadas como gostariam. Mesmo tendo um corpo escultural não conseguem encontrar um grande amor.

Em vez de tentarmos ser Barbies, devemos ficar com a sabedoria do livro de Provérbios e buscarmos a virtude, porque "enganosa é a graça, e vã é a formosura; mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada" (Pv 31.30).

Fonte: Revista Uniao Feminina Batista

Um comentário:

Mariana disse...

adorei, vou pegar essa materia e mostrar a várias adolescentes que qerem ser barbies.